quinta-feira

E de repente aconteceu .
Ela sentou uma profunda tristeza dentro dela, uma sensação de vazio e solidão que não era justificável com a presença de nenhum amigo ou amiga, nenhuma saída desvairada, nenhum desabafo  pela noite tardio, mas pior que isso era ela saber que não era justificável por ninguém.
Ela precisa de alguém que a compreenda, acima de tudo que a aceite, que lhe dê atenção mas ela já nem sequer é capaz de gostar.
Só pedia alguém transparente, que não tivesse medo de mostrar o que sente, que pusesse o orgulho de lado e a deixasse descansar um pouco, de todas as adversidades da vida dela que já  é demasiado dura para quem está a amolecer.
Ela nunca duvidou do amor até o amor lhe provar que não existe.
Até a hipocrisia tomar conta da situação corrente e ela entender que aquilo que ela tinha fosse de quem fosse não era amor, talvez nem sequer considerado sentimento .
Talvez ...
Porque dar segundas ou terceiras oportunidades a pessoas que só aprendem a amar quando perdem?
Ou por amar quem  não conhece essa palavra?
Porque reforçar sentimento num círculo que não o pratica?
Talvez porque aceitou aquilo que não merecia, porque se remediou com o pouco que lhe iam dando, talvez porque não tinha noção do que queria e se concentrou demasiado no que não queria?
Talvez..
Assustadoramente, ela está cansada. Desacreditada. Mais do que alguma vez esteve sabes?
Cada vez mais sente que há um fim de algo que nem ela própria compreende mas sabe que é algo eminente e isso assusta-a porque já à muito tempo que ela desistiu de ti, de vocês , de toda a gente que não lhe serve, não a faz crescer e muito menos a faz feliz.

sexta-feira

Tu

Todos os dias penso em ti.
Penso naquilo que perdi e naquilo que não perdi.
Perdi um amigo. Perdi aquilo que sempre te pedi para não me tirares.
Sinto falta daqueles momentos estupidos que nos faziam rir como malucos, ou até mesmo aqueles momentos malucos que não nos faziam rir ...
Então e as nossas piadas? Os segredos?
Eu confiava em ti. Dei-te a minha cabeça e o meu coração e ficaste com mais informação que muita gente.
Eu confiava em ti porque gostava de ti e não queria nada em troca a não ser a tua presença.
Eu gostava de ti pela tua simplicidade nas coisas e pela tua perspectiva aos problemas alheios.. A tua cabeça fria ajudava-me.
Ainda gosto de ti.
Apesar de não entender muito bem porque que já não fazes parte da minha vida, ainda gosto de ti.
Ainda te guardo com algum carinho e com a promessa de que a distância não significa desleixo e que tenho tudo guardado com o maior respeito na minha cabeça .
Gostava de saber de ti e gostava de saber se gostavas de saber de mim.
Enraivece-me mas FODA-SE! Sinto mesmo a tua falta!
Sim, tu. TU !
Todos os dias penso em ti.

domingo

A terceira vez

Todos temos o potencial de nos apaixonarmos mil vezes durante toda a nossa vida.
É fácil.
O primeiro rapaz que eu amei foi alguem que conheci no 10º ano.
O ultimo rapaz que amei vai ser alguém que provavelmente ainda nao conheci. Todos eles contam.
Mas existem certas pessoas que tu amas que fazem outras coisas: elas definem como tu classificas a maneira que o amor é suposto ser sentido... Essas sao as pessoas mais importantes da tua vida, e tu vais conhecer talvez 4 ou 5 deste genero no espaço de 80 anos. Mas continua a existir uma mais importante do que tudo isto: Há sempre alguém que tu amas que te vai dar essa definição.
Normalmente é sempre em retrospectiva que isso acontece, mas acontece.
É ela que sem saber define o modelo que tu vais inconscientemente usar para amar outras pessoas.
Quem define a tua compreensão do amor não é diferente de todas as outras, muitas vezes é apenas alguém que tu simplesmente quiseste mesmo amar pela primeira vez mesmo que ela nao o merecesse.
Com o passar do tempo, essa pessoa ganha, e tu perdes.
Sabes porque?
Porque para o resto da tua vida, ela vai controlar sempre aquilo que tu sentes por qualquer outra pessoa.

Hoje morri

Há dias muito complicados.
Há dias que nos sentimos do tamanho de uma ostra , em que só queremos estar com pessoas para podermos distrair-nos da galáctica vacuidade das coisas que nos deixam tão em baixo.
Mas ainda há noites mais complicadas...
Há noites que me deixam de rastos. Que se de dia eu quero estar com pessoas, à noite só quero estar contigo.
Contigo a fazer-me festas no cabelo, a acariciar-me a mão, ou só a sentir a batida do meu coração.
Mas as piores noites são aquelas que só te tenho comigo no pensamento.
Quando não é possível te ter comigo, abraçar-te ou só mesmo poder olhar para ti.
Não imaginas a felicidade que me dá poder olhar-te nos olhos, olhar para a tua cara, o teu sorriso ou simplesmente absorver todas as palavras que me diriges.
O nervosismo que me provocas só com a tua presença é louco, é insano, é ultrajante..
Não te sei explicar o que sinto por ti.
É uma espécie de doença que me consome toda a minha energia mental e física.
Fico sem forças para sentir tudo o resto a minha volta, sem paciência para ouvir, e perco-me dentro da minha cabeça que fica cheia de ti e ao mesmo tempo vazia porque não estas lá fisicamente para eu te agarrar e dizer que tenho saudades tuas.
Tenho tantas saudades tuas...
Sou uma pessoa noctívaga.
A noite traz-me muitas memórias, muitos momentos e é quando estou acordada.
É quando faço coisas, mas maioritariamente e ultimamente é quando o meu pensamento voa para ti.
Apesar de pensar em ti todos os dias, todo o dia, a noite dá-me aquela sensação de paz em que me foco em ti, e adormeço com o teu nome nos meus lábios todas as manhãs.
O cheiro da noite, a bruma, a média luz, a palidez da lua, a classe que ela emana, e a discrição dela condizem contigo.
Ficas bem à "luz" da lua.
É quando me apaixono mais por ti.

terça-feira

Infelizmente, só te quero a ti


Eu podia ter os homens que quisesse.
Todos os dias um diferente, todas as semanas ou todos os meses.
Podia estar com o mais bonito da discoteca, da minha rua ou ate mesmo com a pessoa mais bonita que eu conheço.
Podia gastar horas de sono estando com eles ou falando com eles, podia sair de casa a meio da noite e cometer a loucura de ir ter com alguém, só pra me sentir mais feliz.
Podia abraçar mil homens diferentes procurando o abraço mais especial, que mais me aconchegasse e me satisfizesse.
Podia beijar aquele com o sorriso mais bonito, com a melhor aparencia e que cheirasse melhor que eu (é impossível) ou ate aquele com a barba mais linda e fofa do mundo.
Podia aceitar os convites diários de homens que recebo para jantar, tomar café ou ir ao cinema.
Mas não quero.
Infelizmente, só te quero a ti.
Só tu és o mais bonito para mim, só tu me fazes gastar horas de sono a falar contigo, a estar contigo, só por ti saio de casa a meio de noite feita louca e corro mundo e fundos para te apanhar, por ti apanho as estrelas que for preciso para nos deitarmos na areia a contempla-las, por ti minto e omito, por ti peco e rezo, por ti corro e choro.
Por ti dispenso todos os abraços do mundo só para ter o teu, por ti dispenso os sorrisos mais bonitos, as frases mais carinhosas, as atitudes mais cavalheiras ou as barbas mais fofas só pra viver em função do teu abraço, do teu sorriso, e a tua barba que me faz adormecer no teu colo ou excitar-me no mesmo.
Quero lá saber dos convites dos outros, quando o único convite que quero ouvir é o teu, só o teu...
Honestamente, há muitos homens atras de mim, mas não te chegam nem aos calcanhares nem escalando o Evareste.
E sabes que mais? Mesmo não tendo nem te pertencendo, já sou demasiado tua.

segunda-feira

"Quando dizem que o amor dói, que nos doi na alma e no coração, nós baseamo-nos em pequenas coisas como "levar uma tampa" ou então simplesmente não ser correspondido como sofrer por amor..
Quando temos 13 anos e a nossa paixão platónica nem sabe que existimos.
Quando começamos a crescer, a cometer erros, a consciencia a pesar e as consequencias a aparecer, tudo fica mais sério..
Quando amamos doentiamente, nos sujeitamos a situações sem sentido, perdemos o amor próprio, é quando começa a doer...
Mas o que nao dizem é que essa dor se torna tão insuportável que se torna fisica.
Uma fragilidade, dor de cabeça, um ardiúme constante nos olhos e falta de vontade para fazer o que quer que seja...
De repente estamos doentes. Começamos a dormir mais, chorar mais, vacilar mais, perdemos capacidades fisicas e não somos mais a pessoas que eramos antes.
Ficamos doentes de amor.

sábado

So long




"Ela já nem quis ficar mais ali. Já não quis olhar mais para a cara dele, cruzar-se com ele, sorrir para ele.
Ele não merecia. Não merecia que ela se entregasse tanto, fosse tão boa, tão util e tão querida.
Para quê?
Para ele olhar para ela com aqueles olhos recheados de mentiras e segredos?
Olhos falsos e indecifráveis, frios e calorosos, horriveis e maravilhosos...
Onde ela se perdia durante longas horas de conversa, onde se derretia todos os segundos da vida dela só de pensar neles...
Todo os dias ela se afogava mais um pouco, envolvida naquele mar intenso, todos os dias ela se apaixonava mais, apaixonada pelas mentiras que aqueles olhos transmitiam.
Era uma amor doloroso, Ela gostava de acreditar que qualquer dia ia ser diferente, mas não ia, nunca.
Ela chegou tarde.
E morreu mais um bocado por dentro."

quarta-feira

Frozen




"Não sinto nada.
O frio trespassa o meu corpo, o meu cabelo, a minha alma.
Anastesia-me com o vento gélido que humedece os meus olhos, que soltam lagrimas vindas directamente do coração...
Mas o coração gelou. Já não há frio que o gele mais, já nao ha sentimento, já nao há sensação.
Saio à rua e o frio é bem vindo.
Saboreio aquilo que me acossa a alma, aquilo que me desperta do estado de dor inebriada em que me encontro e que me faz sentir.
Às vezes só gostava de sentir.
Ás vezes só gostava que sentisses.
E não me adormecesses com palavras...
Vou ficar à espera que o meu cabelo cresça o suficiente para pode entrançar num amor que me mereça e que me queira."

quinta-feira

Aleivosia

"Quando ela descobriu sentiu o mundo a ruir a volta dela. Sentiu que ja nada fazia sentido e que tudo aquilo que ela acreditava nao significava nada. 
Doía. 
O amor dói.
É uma sensação aguda, sufocante, pesada no peito, que não deixa respirar, pensar ou mexer...
Sentiu uma raiva a crescer dentro dela, uma força sobrenatural, um misto de odio e rancor, vontade de gritar e expulsar tudo aquilo que fervia dentro dela.
Bateu-lhe. 
Com todas as forças que tinha, libertou a angustia como se esvazia-se um balão. Chorou lágrimas gordas de dor, deixou sair toda aquela doença tóxica que é o odio... E sentou-se no chão.
Abandonada.
Desfaleceu com tanto cansaço.
Ambos sentiam muita dor.
Ele amava-a.
E chorava. Não queria ter feito aquilo.
A culpa azeda estava estampada na cara dele...
Fizeram amor. Selvagem, doente, enraivecido, violento.
Quando ambos cairam na exaustão ela expulsou-o de casa.
O amor deles doia terrivelmente... Como se fosse uma bola de espinhos no peito."

terça-feira

Pequena morte


"Como sempre, estava deitada com a barriga pra cima.
Meio dormindo, meio acordada, conduziu a mão pelo decote em V da camisola e começou a se acariciar.
Primeiro, com leves carícias com a ponta dos dedos por todo o peito. As manobras foram ficando mais vigorosas à medida que sua respiração acelerava.
Volta e meia uma das mãos ia à boca para ser molhada e tornar a carícia ainda mais deliciosa.
Já se contorcendo, sentiu que era o momento de explorar onde realmente interessa.
Algo escorria pelas suas pernas.
Ela adora se sentir nesse estado. Atingir tão facilmente e com tão pouco esforço nível tal de excitação faz com que ela se sinta A MULHER.
Poderosa.
Potente.
Sexy.
Única.
Já não se aguentando, virou com a barriga para a cama para iniciar sua manobra prefererida de prazer.
É assim, de costas, que ela mais gosta.
A velocidade aumentou. O vai-e-vem também.
Ofegante, precisou de pouquíssimo tempo para chegar lá.
Um grito, seguido por um aliviante suspiro, selou aquela pequena morte maravilhosa."

segunda-feira

Já morreste a muitos anos

"Tu foste o único que me fez esquecer todas as dores que a doença me conferia e ainda confere, mas hoje não estás comigo para as esquecer, agravando-se com as saudades que sinto. Nunca quis acreditar ou aceitar que um dia existiria uma despedida entre nós, sempre acreditei que estaríamos juntos o resto das nossas vidas. Puro engano! Se tivesse acreditado na realidade em que tudo se transformou, teria inventado uma fórmula para congelar o tempo e com certeza escolhia como momentos o nosso primeiro beijo, o nosso primeiro encontro. Mas já não há mais tempo, o nosso tempo simplesmente acabou. Depois da despedida que verdadeiramente nunca aconteceu, tu seguiste o teu rumo e eu segui o meu. Os nossos dedos deixaram de estar entrelaçados e as minhas mãos arrefeceram sem o calor das tuas."

quinta-feira

Face Everything And Rise

"Não sou nem nunca fui uma pessoa contida.
Sou intolerante, impaciente, as vezes calma... Mas não em sentimentos, nem em actos, nem em palavras.
Quando gosto de alguma coisa ou de alguém é sempre muito. Como de batatas fritas.
Ou de olhos azuis.
Da minha mãe.
Dos meus amigos.
Dos meus irmãos.
Da minha casa.
Da minha vida.
E cada vez que a vida me pede contenção, é como se me metessem num colete de forças. 
Já li muitos livros que me diziam sempre o mesmo: o amor é um exagero.
Mais do que um reconhecimento, senti uma profunda solidariedade.
O amor é sempre um exagero. Na forma como é sentido, vivido, mexido, saboreado, manipulado, escrito, descrito e recordado vezes sem conta, sem nunca nos cansarmos. E se lhe juntarmos sonho, prazer e reciprocidade, o mundo transforma-se num lugar mágico porque sentimos que o podemos mudar.
Enquanto seres humanos livres todos podemos provocar em nós as mudanças que quisermos . A isso chama-se liberdade de escolha. E no amor também existe essa liberdade. Mas a nossa liberdade acaba quando queremos que o outro mude para nos fazer a vontade.
Ninguém muda ninguém.
O amor, ou está lá, ou não está. E quando há medo, quase nunca há amor. São forças opostas que se anulam."

sexta-feira

They say it's a broken heart, but my all body hurts

"E assim ela ia... Embargada naquela paixão que ja tinha deixado de ser paixão e tinha passado a ser amor.
Caindo por entre as nuvens espessas do sentimento que a envolvia, e cada vez mais na crença do "sim", que valia, que era, que dava...
Ela acreditava, sentia.
Ela sentia que aquele nevoeiro branco espesso de onde ela não conseguia ver mais a frente era só a passagem para algo melhor.
E foi caindo...
Até que ao cair bateu no chão em vez de bater na nuvem, e o coração partiu.
Em 1000 bocados.
Sem conserto.
Sem paixão.
Sem amor."

terça-feira

"Um amor virgem"

"Ficou aliviada por tudo ter acabado, por ter satisfeito curiosidade. Ajudou a tirar algo da cabeça, simplificar ideias e decidir se realente valia a pena. Arrependeu-se e ficou triste, ganhou rancor a ela propria e a vida, mas daquele misto de rancores e tristezas fermentou um vinho amargo que a embriagou de ódio em relação ao amor...
Era isso o amor: um labirinto dentro de um labirinto... Um perder-se estando perdido..."


quinta-feira

O livro dos Loucos

"Usa desodorizante.
Diz pelo menos os palavrões todos que te apeteça dizer.
Lava os dentes.
Faz algo que te assuste.
Diz piadas.
Não escolhas o fácil só porque te parece fácil.
Não comas com a boca aberta.
Não faças o difícil só porque te parece difícil.
Ama sem olhar a quem.
Come chocolates.
Ama só quando te sentes alguém.
Beija de língua.
Sonha com algo impossível.
Orgulha-te de cada ruga.
Experimenta novas posições sexuais.
Ri-te de ti.
Sonha com algo possível.
Ri-te dos outros.
Imagina o teu pior inimigo sentado na sanita.
Ri-te de tudo.
Nunca penses que brincas demais.
Chora.
Salta à corda.
Leva quem amas para um motel.
Atira-te ao mar sempre que podes.
Ama o sol.
Abraça.
Ama a chuva.
Perdoa quem amas.
Ama o vento.
Perdoa quem não amas.
Toma banho todos os dias.
Nunca desistas de um orgasmo.
Partilha.
Ajuda.
Olha.
Faz questão de tocar com a pele.
Sorri para quem te quer bem.
Abraça com força.
Sorri para quem te quer mal.
Não tenhas medo de desistir.
Sê único.
Não tenhas medo de não desistir.
Respeita a maioria.
Sê feliz com tudo o que temes.
Caga na maioria.
Dá tudo o que tens a todos os que amas.
Vai ao contrário só porque te apetece.
Usa cremes hidratantes.
Faz o que te der na real gana.
Casa por amor.
Ri para sempre.
Vive por amor.
Arrisca.
Pisa o risco.
Sê pornográfico.
Vicia-te em adrenalina.
Prossegue.
Avança.
Lava periodicamente o sexo.
Faz todas as opções em nome do prazer.
Ama periodicamente com o sexo.
Insiste em viver.
Vem-te periodicamente.
Continua esta lista.
Todos os dias.
A toda a hora.
Já."


Not mine.

quarta-feira

"I'm sleepless ...
You've got me wide awake.

I'm dreamless ...
My soul is yours to take.

I'm haunted ....
When I look in your eyes.

I want this and I won't be denied ... <3 p="">

terça-feira

O quê que sentes?

"Somos nós, com os nossos passos, que vamos fazendo o nosso próprio caminho. Há quem corra demasiado depressa e perca a alma no trajecto, há quem mude de ideias e arrisque um atalho, há quem não saiba escolher a melhor direcção quando chega a uma encruzilhada, há quem deixe pedras pelo caminho para não se perder, se precisar de voltar para trás.
Não sei que espécie de caminhante sou, para onde vou, não sei. Nem sei para onde vais. Nem tu sabes. Pode ser que um dia acordes com uma luz nova, uma força desconhecida que te vai trazer até mim… Sei que há uma força estranha que me faz correr para ti, embora nunca, em nenhuma circunstancia, corra atrás de ti, porque não posso, não me é permitido interferir no teu destino e mudar o curso da tua vida. Isso, terás que ser tu a fazê-lo, por ti e para ti, se assim o entenderes. Será que sentes a mesma força?"

segunda-feira

Secret

Eu escrevia pra não chorar, digo, não chorar na frente de todos, por mais que essa vontade fosse.
Optei por chorar palavras, ou até mesmo molhar algumas folhas com pingos de dor.
O melhor de chorar com a presença de um caderno, é que de certa forma ele não te perguntará nada, vocês serão iguais, o papel e você. So escrevo no papel, o que não consigo dizer com os lábios, e o que não aguenta sair pelos olhos em forma de lágrima.

quinta-feira

cada vez mais acho que nao vale a pena confiar nas pessoas.
cada vez mais acho que devemos manter uma certa distancia, nao dar muitas confianças, e manter aquele espaço de respeito entre nós.
aprendi com o tempo que só posso contar comigo, comigo e mais ninguem.
aprendi com o tempo que as pessoas são inconstantes, perigosas, e sem escrupulos e que quanto mais esperas de alguém, menos supera ou alcança as tuas expectativas.
nao deixes que essa gente crie expectativas de ti, eles não sao nada. tu tens de criar as tuas expectativas, as tuas metas, traçar o que tencionas fazer futuramente.
tens de esperar algo grande da vida, tenho de acreditar que tudo vai ficar bem, mas nem sempre uma pessoa forte ultrapassa tudo, pois as mazelas dos acontecimentos, vão ficando...
e são essas mazelas que no futuro nos corroem, nos machucam, nos assustam e nos confundem demais, e por vezes não nos deixam avançar.
sabes porque? tens as pessoas erradas ao teu lado.
este foi o estalo do momento

Agarro-me a "vida" e ela agarra-se a mim




Anda daí, vem sentar-te na lua comigo.
Imagina o trabalhão que tive, mas agarrei uma estrela só para ti. Somos amigas há tanto tempo, muito mais do que aquele que já vivemos. Sei que só tenho 21 anos, mas acho que nasci com uma alma antiga, porque olho para mundo e vejo mais longe do que muitos conseguem alcançar.
Por isso talvez a nossa amizade venha de outro tempo, um tempo sem tempo, uma existência eterna e paralela onde tu também tens dezanove anos e todas as noites podemos subir à lua e apanhar estrelas.
Agora elas andam fugidias, a tecnologia tornou-as mais rápidas e são muito difíceis de apanhar. Mas por ti, por tudo o que me ensinaste, por tudo o que já vivemos - ainda que em sonhos - por tudo o que aprendi a ser contigo, por ti, eu apanho as estrelas que for preciso.
Anda daí, vem sentar-te na lua.
Nunca está frio cá em cima e instalaram umas escadas rolantes para não nos cansarmos na subida. A Lua forrou-se de almofadas brilhantes e distribui mantas e bebidas aos visitantes. Negociei um lugar cativo com o patrocinador oficial e assim podemos ir todas as noites, se quiseres, se puderes, se tiveres tempo e vontade, tu que andas sempre a correr contra o tempo, contra os comboios, contra quem está contra ti.
Não sei se serei escritora um dia.
Sonho com isso, mas faz-me impressão ver-me todos os dias fechada a lutar contra o silêncio, contra as palavras, contra o tempo. Falta-me a respiração do mar, uma existência serena, a capacidade de desligar. Falta-me tempo e energia. Mas nunca me hão de faltar os verdadeiros amigos, como eu.
Nem sempre conseguimos encontrar-nos no tempo presente, nem sempre tens tempo para mim, mas eu sei que posso contar contigo, que num momento de crise estarás ao meu lado, que voltarás sempre, porque se a vida é um eterno regresso a casa, a amizade é um amor eterno.
Por isso anda daí, vamos as duas um bocadinho à lua e quando voltarmos estarás mais bela e mais feliz e podes ter a certeza que o tempo em que estamos com aqueles que nos querem bem é sempre um tempo ganho, como quem acumula pontos de felicidade para o futuro.
Mesmo que seja na lua, ou cá em baixo, entre os homens, tanto faz o tempo e o lugar, o que conta é o modo de ser e de amar.

sábado

A minha alma gémea

Fazes parte daquele grupo de pessoas com quem posso contar para tudo na minha vida sempre e para sempre. Tu dás-me muito do que não tenho e no entanto nunca descansas, nunca te cansas de tentar descobrir em mim o que me falta para ser melhor e mais feliz. Acreditas, incondicionalmente nas minhas capacidades, relativizas os meus defeitos, aturas as minhas neuras, partilhas as minhas vitórias, estás ao meu lado para o que der e vier.
Ouves-me, dás-me conselhos, partilhamos ideias, rimos, choramos, brincamos, cantamos...
Dás-me paz, companhia, doçura, harmonia, amor, serenidade, confiança. És um raio de sol que me ilumina e aquece, és uma lufada de ar fresco que me acorda do meu estado de apatia. Dás-me a mão, o teu coração e a tua cabeça, as tuas memórias e os teus projectos, fazes-me sentir importante quando estou do tamanho de uma ostra e fazes-me rir quando quero chorar e chorar quando rio.
Contigo sorrio verdadeiramente, contigo sou eu mesma, sem medo de ser julgada pelo meu exterior e interior, pelo meu feitio dificil.
Contigo não há discussões, não há medos, não há nenhum mau sentimento.
Contigo há verdade, sou realmente eu, humilde e transparente.
Uma amizade assim não tem fim, mas tem principio e meio, e no meio de tudo isto só te posso dizer que o mundo não teria a mesma luz se tu não fizesses parte dele :)

quinta-feira

Um dia casamos.

"Somos a fachada
de uma coisa morta
e a vida como que a bater à nossa porta

quando formos velhos
 se um dia formos velhos
quem irá querer saber quem tinha razão

de olhos na falésia
espera pelo vento
ele dá-te a direcção

a idade é oca e não pode ser motivo
estás a ver o mundo feito um velho arquivo

eu caminho e canto
pela estrada fora
e o que era mentira pode ser verdade agora

se o cifrão sustenta a química da vida
 porque tens ainda medo de morrer
faltará dinheiro
faltará cultura
faltará procura dentro do teu ser

ninguém é quem queria ser
eu queria ser ninguém

diz-me se ainda esperas
encontrar o sentido
mesmo sendo avesso a vê-lo em ti vestido

não tens de olhar sem gosto
nem de gostar sem ver
ninguém é quem queria ser..."

segunda-feira

Ás vezes


Ás vezes gostava de ser feliz, gostava de ter algo perfeito em mim.
Ter uma família feliz, não ter de me matar a trabalhar para ter dinheiro, ir para faculdade, seguir o que eu sempre quis, o meu sonho.
Mas não consigo. Quando não se é feliz na totalidade e existem predominantemente energias negativas e nunca positivas, acabamos por ser infelizes.
O futuro assusta-me, mas anseio por ele.
Sou uma pessoa de medos, e receio tudo.
Receio o Amor.
É talvez aquilo que mais receio. Só ele me consegue magoar de verdade.
É talvez a única dor que receio. Mesmo.

quarta-feira

Sentidos

Derramo gargalhadas de pranto ate que a noite me vence. Durmo de boca para baixo para oprimir o coração e fazê-lo calar-se. Só se o amansar conseguirei deter os pensamentos, dormir a dor nos meus olhos de insonia. Todos os dias o cansaço surge meus ossos, a manha envelhece-me. Habitam-me mares distantes e lagrimas estancadas, o frio acossa-me a alma. O meu olhar tornou-se remoto, perde-se no infinito, o meu rosto transformou-se em mármore, o meus cabelos tornaram-se pálidos: milhares de anos inundam-me a alma.tenho os dias de rezar ao sol para que me aqueça e me tire este frio que me gela e todas as noites tenho de conjurar a morte com a oração de um poema do meu amado entre os labios. O tempo adormece as minhas mãos. Submergida neste vazio, posso palpar os silenciosos muros do nada que nos encarceram, a galactica vacuidade das coisas que nos rodeiam, tão profundamente despedaçada que Tenho fastio de sentir sentido... e todos os dias, na praia, assalta-me a convicção de que o meu querido mar tem algo de pátria e eu de exilada. São dias em que vejo a morte que me fita, enamorada.

quinta-feira

Vazio


Vou correndo atras do destino traçado, percorrendo trilhos que me levam a nada, descrendo no que é o nada, porque o nada é a minha vida.
Por vezes sinto que sou feliz, mas aprofundando vejo que a minha existência é banal, é mais uma no meio de muitas e estes trilhos ensinam-me o caminho do futuro, futuro esse onde eu agora posso sonhar, pensar no impensável e realizar o impossivel.
Sonho que um dia ja consiga fazer crer a quem não acredita que a minha existência, o meu futuro e o meu passado, não sejam meramente banais e que tudo o que faça tenha valor.

sexta-feira

I believe that friendship never ends

Sou uma pessoa complicada.
Estou sempre pronta a foder a cabeça aos outros, sempre. Desculpem por alguma coisa.
É o meu feitio e voces sabem que vos amo muito e que são a minha vida, mesmo, mesmo, mesmo!
sento-me na minha cama e penso na vida que tenho.
É uma merda. mas depois lembro-me de voces todos, um por um, e no quanto gosto de vos abraçar bem forte quando a angustia toma conta de mim, quando tenho saudades, quando vos vejo.
noites e tardes e dias não são suficientes, quero sempre mais, mais, mais, adoro-vos com todas as minhas forças. a serio :')

quarta-feira


"Invisível, como a felicidade,
Tens uma cara, precisas de outra metade? Ou não.
Se é para te ver maldisposto, prefiro descomprometido e com um sorriso no rosto,
Eu sou teu amigo, sabes disso mano,
Seja assim ou esteja contigo uma vez por ano,
Sei que ás vezes escondo mas falo agora,
Mato por ti, basta só dizeres a hora!
Quando estive fora pus-te na mala, porém nem a geografia vai conseguir apaga-la,
A relação que ajudaste a cria-la, à prova de bala, a pala dos intrujas mortos por mata-la!"

terça-feira

O que se passa?

na quinta feira passada fui à psicologa e chorei como uma menina.
é impressionante o que elas conseguem fazer, não as sabia capazes de tal proeza, mas a verdade éq se o trabalho delas é por os pacientes a chorar, parabens, ganhou um prémio.
não aguento mais, é demasiada coisa pra mim.
é o trabalho, o ambiente familiar, a escola, a merda que uma amiga se revelou, a falta de dinheiro, os exames, a PAP, os trabalhos para fazer que se acumulam, é tudo, tudo que aparece ao mm tempo e me deixa de rastos.
sinto-me a definhar, sinto-me cansada, sem forças sequer para discutir e mostrar como estou, porque mostrei uma vez e foi como se tivesse mostrado as minhocas, ou seja, não fui ouvida.
à noite mal durmo, sinto-me exausta e não consigo fechar os olhos e dormir.
estou com uma depressão nervosa, ando a comprimidos para dormir, não tenho paciência para nada, nem para as aulas, nem pro trabalho, nada, nada, nadinha.
Choro, mas as vezes as lágrimas doem-me quando caem, porque me sinto inválida, incapaz de mandar tudo foder e por tudo para trás das costas.
sinto que se explicasse ninguém me ia entender e a força para andar sempre com um sorriso na cara começa já a desvanecer-se muito rapidamente.
o quê que eu posso fazer?
Sou um apoio para muitos mas não sou muito apoiada e isso deixa-me profundamente triste.
O cansaço toma conta de mim, todos os dias mais um bocado, não sei explicar, mas é demasiado forte e sinto-me mesmo mal porque desde muito pequena que sempre consegui separar as coisas que se passavam em casa, sempre consegui esconder a merda de vida que tenho, sempre andei com um sorriso na cara para fazer crer as pessoas que sou uma rapariga feliz e talvez isso ja esteja a ser demais, se calhar foram demasiados anos a fazê-lo e estou a ressentir-me mas ..
PORQUE AGORA? não entendo.
acho que o unico momento do dia em que estou bem é quando "viajo" e pronto, ao menos aí não penso em nada.

Tento mostrar uma faceta dura, tento mostrar que sou forte, que resisto a tudo e que nada me afecta.
tento estar sempre com paz de espirito, tento ser livre, independente, tento ser pragmatica e tento pelo menos aparentar que estou sempre feliz, mas não sou.
Não sou mesmo nada, de todo, e não entendo.
Quer dizer, entendo mas mais uma vez tento por a tristeza para tras das costas, para eu não mostrar que estou mal.
sou uma pessoa saudosista, e muito curiosa.
Matuto nas coisas com uma insistencia horrivel, e existem duvidas que me assolam o pensamento durante meses, talvez anos, duvidas essas que me deixam infeliz.
há atitudes que me deixam a pensar durante muito tempo, pessoas que deixam saudade, apesar de muito rancor que lhes tenha, momentos que não voltam mais, (nem eu quero) mas que custa na mesma porque ate foram bons, porque me doi, DÓI realmente ver tanta gente feliz a minha volta e eu ter que disfarçar para as pessoas não estranharem quando não virem a pessoa feliz que sou sempre.
tento abstrair-me, tento, JURO QUE TENTO, mas olho para tudo e tudo me faz chorar.
Sinto falta de ter alguém que me ame mesmo e que eu ame realmente, sinto saudade de alguém que seja capaz de me defender, deixar o que esta a fazer para estar comigo, de abdicar de alguma coisa por mim, sinto falta da dedicação de alguém que não seja só meu amigo, (AMO OS MEUS AMIGOS, ATENÇÃO), de me fazerem uma surpresa mesmo atenciosa, de ter alguém que me ame tanto que chegue a pensar que vive para mim...
A verdade éq eu também não deixo ninguém fazer-me isso, esta faceta minha não permite, construi um muro de gelo à minha volta e o medo...
o medo é o meu segurança privado e ele tem feito um bom trabalho, porque não deixa que niguem se aproxime...
Sei que ao ter saudades disto estou a ser mais egoista que nunca, mas é a realidade, e no final de contas acredito e sei que toda a gente gosta ou gostava de ter isso pelo menos uma vez na vida.
Há os amigos e os momentos passados com eles, a musica, a escola, o trabalho, as piadas, os afectos, mas nada disto CHEGA...

quarta-feira

Amigos


A verdade éq estou bastante diferente do que estava antes de o ano acabar, mas a mim pareço-me bem, já estava na altura de desenvencilhar e crescer, ja estou farta de aconchegos e mariquices, estou farta da tretas e pieguices, para mim tem de ser tudo preto no branco, deixo as areas a cinzento pra quem nao tem que fazer!
Quero sair deste casulo e voar livremente sem haver ninguem que me corte as asas, quero ser feliz à minha maneira sem haver alguém por trás a dizer que não devo fazer isto ou aquilo, quero ser eu!, unica e verdadeira.
Tenho pessoas excelentes à minha volta, a distancia de um telefonema e nem sequer me atrevo a queixar por qq acto porque tenho os melhores amigos do mundo, errar é humano mas o perdão também o é!
Os amigos são aqueles que me fazem perceber que eu tenho defeitos.
Gosto que me questionem, que me digam que estou errada, que eu sou uma otaria porque não admito os meus erros.
Gosto que os meus amigos me abracem muito quando não peço e que me beijem a testa!
Gosto que me liguem quando menos espero para os salvar de alguma situação,embora revire os olhos e pense: Outra vez?
Eu adoro-vos.
Adoro os meus amigos mais do que a minha familia sem duvida! e arrisco em dizer que há dias em que gosto mais deles do que de mim mesma.
Gosto quando um deles ousa em dar-me um estalo na cara e foge mesmo sabendo que vai levar a seguir um muito maior.
Gosto das noites turbulentas mas gosto ainda mais daquelas em que todos estamos em silêncio, enfileirados a observar alguma coisa, a observar aquilo que nos é tão distante e tanto gostariamos de ter...
Talvez.
Gosto que os meus amigos me digam que o dia lhes correu bem, que estão felizes e têm ideias fantásticas!
Gosto de ver o sorriso nos seus labios e rir-me com eles..
Gosto de ver o brilho nos seus olhos... aquele brilho que me transmite inquietude. Gosto de os abraçar com força quando sinto que a angustia é maior que o seu próprio tamanho.

segunda-feira

Salto


Um impulso. Era o que ele queria para perder o medo do salto e sentir o voo, coisa que ele tanto qeria.
Coisa tão desejada, a um galope de distância, sentia o poder tão perto.
Não avançava porquê?
Sentia-se incapaz de movimentar, o seu corpo não respondia de maneira alguma, dava jeito um empurrão.
Seria o salto doloroso? Seria por isso que o seu corpo não se mexia, seria o medo de dor?
Vontade não faltava, mas as pernas, os braços, firmes e presos, não saiam da sua posição.
O que ele mais queria era voar, mas o seu corpo dizia-lhe que era impossivel. Seria mesmo?
Seria ele mesmo incapaz de voar? Uma coisa era certa, asas ele não tinha, mas sentia-se leve como uma simples pena, e ignorava assim o corpo que lhe suplicava para não se auto-destruir com uma queda irracional.
Irracional? Dizia o corpo? O mais racional ali era o salto, pois era onde se encontrava o verdadeiro cume da liberdade, poderia não voar mesmo, mas por poucos segundos, nada mais existeria no universo, só uma simples sensação de suavidade e adrenalina no seu momento mais misto, mais junto, o que faz com que o salto valha a pena, e ele sabe disso.
O corpo é egoísta, não se quer é magoar no salto, por isso o impedia de se deslocar. Quem é o verdadeiro assustado pela dor aqui é o corpo, não o simples rapaz . Haverá quem o chame corajoso, quem o chame ingénuo e há quem o chame simplesmente, um tolo.
Para ele a opinião alheia não interessava, o que ele qeria era o salto, queria planar sobre os ares, sentir-se aconchegado pelos ventos
e pelas suas famosas memórias que lhe passavam na cabeça.
Dizem que quando se faz o salto, que a nossa vida nos passa diantes os olhos.
Para ele não, para ele passava o que bem lhe apetecesse, passava amizades, amores, inimigos, desafios, felicidade, amor, tristeza, terror, até imaculados objectos de eterna e pura diversão, fosse o que fosse . Não era a dor que o corpo ia sentir que o deixava abater por tentar fazer aquilo, nem por sombras, o salto estava mais que decidido. Quanto mais reflectia sobre o salto, mais ansiedade e vontade tinha de se soltar da imundice que era o mundo em que vivia e pura simplesmente, saltar. Nessa altura, o corpo quebra, estava de volta ao seu comando, também este tinha perdido o receio a voar. Qual voar? Ele já tinha passado essa fase, sentia-se pronto a enfrentar os seus medos e cair num buraco de imensa escuridão com a tipica luz no final do tunel e como não pertencia a qualquer tipo de religião, não esperava ir nem para céus nem para infernos, nem para altos nem baixo, nem claros nem escuros, ele queria era ser aquele que ia estar mais próximo de voar do que qualquer um, e agora sim, estava pronto. Deu o primeiro passo em frente, e sorriu.
Para o infinito e mais além.

R.M. <3

terça-feira

Gostos


Destesto sábados, terças-feiras, abelhas, ananás, saias.
Não gosto de sonhar acordada porque isso é perder tempo que se pode gastar em converter os sonhos em realidade.
Não gosto de esperar. Não gosto de cães com coleiras nem de pássaros que não tentam sair das gaiolas.
Não gosto de flores secas nem rosas em água, não gosto de pessoas que se queixam, não gosto de aranhas nem de folhas quadriculadas.
Gosto de sentir-me livre. Gosto de dormir à noite e sair durante o dia.
Gosto das gotas de chuva a cair no vidro da janela, gosto de ouvir um riso ao longe, gosto da praia e de tomar banho no mar.
Gosto de mudar o telemóvel de mão enquanto falo com alguém.
Gosto de trincar os cubos de gelo depois de uma bebida no Verão.
Gosto de beijar a boca de quem amo e amar quem me ama.